Avelã e Berrini Ventures na Health 2.0 Annual Conference

Recém chegados da Health 2.0 Annual Conference, a doutora Mariana Perroni, relações institucionais da Berrini Ventures,  e o empresário Felipe Ruiz, da startup Avelã, contam como foi a experiência de participar do evento.

Por: Greice Munhoz, da Berrini Ventures, e Aline Akemi, da Avelã

Realizado de 4 a 7 de outubro em Santa Clara, Califórnia, o Health 2.0 9th Annual Conference promove um espaço para discussões de novos modelos e novas soluções para os desafios do mercado da saúde, configurando-se como principal evento de inovação em saúde no mundo.

Na comparação entre o evento americano e o Health 2.0 Latin America, realizado em setembro deste ano em São Paulo, a doutora Mariana Perroni faz algumas observações. Segundo a médica, o número de participantes latino-americanos demonstra que os interesses e avanços na discussão sobre saúde 2.0 estão se ampliando.

Entretanto, ainda falta muito para se alcançar o Health 2.0 americano, que reuniu 15 mil pessoas na edição deste ano. Esse número, muito maior que a versão latino americana, demonstra que os stakeholders daqui ainda precisam perceber que inovação em saúde é algo que vai muito além da implantação de prontuário médico e da presença nas redes sociais, opina Mariana.

“Para promover uma real mudança no setor da Saúde, a inovação precisa envolver todos os players da cadeia em discussões e parcerias cada vez mais frequentes com objetivo de otimizar os processos na Saúde e chegar a soluções mais custo-efetivas”, afirma.

Como ação de melhoria imediata, ela aponta a inclusão de mais pacientes nas discussões, especialmente aqueles mais engajados e bem informados, e destaca a importância de usar seus inputs e feedbacks no processo.

Sobre a participação da Avelã no evento, primeira startup brasileira a se apresentar no Health 2.0 americano, ela conta que os brasileiros foram muito bem recebidos e despertaram o interesse do público com sua solução.

“Trata-se de um enorme potencial para promover maior engajamento entre médico e paciente, o que influencia diretamente os outcomes e o sucesso dos tratamentos e intervenções”, conclui.

A Avelã foi a primeira startup Brasileira a se apresentar no evento,  na pessoa de Felipe Ruiz, CEO da startup, que fez uma demonstração da solução para melhorar o relacionamento entre médicos e pacientes no painel ”Technologies for Connecting Physicians and Patients“, moderado por Lew Altman, da Lew Altman Consulting.

Felipe conta que o evento americano não se ateve a questões de escala global e, portanto, muitas das soluções apresentadas não condiziam com a realidade do mercado brasileiro, como por exemplo o uso da telemedicina da Doctor On Demand. Outro ponto bastante destacado no evento, segundo o empresário, foi a redução de custos e a busca de soluções para diminuir os gastos na área da saúde.

Como principal contribuição da startup brasileira ao evento, ele menciona a própria  apresentação do sistema para conectar médicos e pacientes,  e o retrato sobre as perspectivas do setor de saúde no Brasil.

Em conversa com representante de um fundo de investimento e com um médico, Felipe obteve o feedback sobre a solução, que foi recebida com muito entusiasmo. A Avelã identificou o mesmo problema que os americanos e está em sintonia com a tendência de inovação que já ocorre por lá, explica.

“Atualmente, o mercado brasileiro está voltado à cópia de soluções estrangeiras e nós estamos entregando valor e inovação aos nossos clientes. A participação no evento me deu base e ideias para continuar a inovar na Avelã”, diz Felipe.  
Sobre os próximos passos da Avelã, ele destaca a criação de formas de inovação para melhorar a experiência do paciente em relação à própria saúde.